quinta-feira, 8 de maio de 2008

Criticas à parte, nós amamos até os defeitos!

Nesse momento em que posto, estou escutando uma música (Blondie - Heart of glass), bem baixinho que é pra não atrapalhar meus pensamentos.
Agora vou escrever algo pra postar no Cotidiano Especial, então decidi escrever sobre os maridos, mas apesar de parecer crítica, eu não tenho motivo pra criticar o meu, pelo menos ele não é dos piores nesse tema do post. Mas também não posso deixar de notar que a maioria (veja bem... a maioria não são todos!), mas até os melhores e mais esforçados pecam pelo lado da praticidade, enquanto nós, lado emocional da estória, acabamos ficando magoadas às vezes com algumas atitudes que pra eles é uma pequenina besteira!

E eles estão certos!

Para aquele que vê o lado prático de tudo é realmente uma pequenina besteira, nem direto a ser grande as nossas besteiras não tem.

Mas como nós somos inteiramente emoção (volto a dizer: a maioria.), aquela falta que eles cometeram merece um cartão vermelhíssimo e um longo assopro de apito... e com todo o direito a expulsão!

Quando vocês estão namorando (quer dizer, aqueles que namoram no máximo um ano, os que passam disso já se comparem aos casados), ele vem te buscar no seu aniversário com uma surpresa, tudo bem que pra muitos uma caixa de bombons, um buquê de flores ou um urso de pelúcia é a grande idéia de uma surpresa original. Alguns mantêem esse nível alguns 3 ou 4 anos no máximo, variando um pouco os presentes, às vezes ele te leva pra ver um daqueles filmes em que o protagonista dá uma grande prova de amor mal sabendo que nós estamos lá do ladinho deles pensando quando vai aparecer um bonitão pra fazer o mesmo por nós.

Após alguns anos (variando muito de casal pra casal), ele corta pela metade o presentinho, e vc tem que se contentar com o acréscimo de um beijinho ( ou um beijão, não faz diferença, é tudo prêmio de consolação mesmo), e você tem que guardar as belas recordações do romance passado.

Alguns anos a mais e ele vem com a história que não comprou nada, mas que não se esqueceu não "_ Sabe como é, né? Eu tava sem dinheiro, e você sabe como tá a nossa situação." E você fica lembrando daquela vez que sem motivo nenhum ele trouxe uma rosa...

Com o tempo você tem que ficar feliz se ele se lembrar atrazado. E sabe aquele bonitão do filme que você assistia no inicio do namoro? Você já não quer um igual pois sabe que é ficção, agora pode ser um feinho mesmo e não precisa fazer nenhuma loucura, não, pode trazer um buquê, uma caixa de bombons ou um ursinho...

Mas sabe de uma coisa?

É nessa hora que você descobre que ama mesmo aquele "disgranhento", afinal se ele fizesse esse tipo de coisa na época de namoro, você estaria com ele da mesma maneira, pois o que te atraiu foi seu sorriso de moleque, e o sorriso ainda está lá, quando ele pede desculpas por ter te esquecido...

Aí você desculpa tudo... tudo mesmo!

Carpe Diem

2 comentários:

Katia Mota disse...

É Vera, somos um montão de bobas mesmo... o engraçado é que só muda o endereço por que no mais é tudo igual. Acho que o problema é que nós vivemos de pequenas coisas, pequenos gestos que somamos tudo e poemamos sozinhas.
Mas normal é a vida...
bjs

GATO LARANJA disse...

Finalmente alguém mulher entendeu o real sentido das coisas de homem... hehehe

só poderia ser você mesma!

nós do Maridos Futebol Clube estamos agradecidos pela compreensão dispensada...

"Sem sair do sofá e com a latinha na mão!"

beijos